- Advertisement -
CidadesAssociação Médica Brasileira faz alerta contra uso de cigarros eletrônicos

Associação Médica Brasileira faz alerta contra uso de cigarros eletrônicos

A Associação Médica Brasileira (AMB) publicou, nesta segunda-feira (9), um posicionamento a respeito da liberação, importação, comercialização e propaganda dos Dispositivos Eletrônicos para Fumar (DEFs), mais conhecidos como cigarros eletrônicos ou vapes. A associação é totalmente contrária à liberação dos dispositivos e exigiu uma maior fiscalização do uso, principalmente pelos jovens. Artistas como Zé Neto e a cantora Solange Almeida já fizeram alertas públicos sobre problemas decorrentes do uso dos cigarros.

De acordo com o pronunciamento, a AMB, assim como outras associações que assinaram o posicionamento, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) deveria manter em vigor a RDC 46/2009, resolução que regula e proíbe o uso, comercialização e propaganda de cigarros eletrônicos no Brasil. As entidades consideram o vape uma ameaça à saúde pública, pois já é comprovado sua nocividade com substâncias químicas, cancerígenas e o efeito viciante da nicotina continua presente no cigarro.

Além disso, os cigarros eletrônicos representam um aumento do uso de dispositivos para fumar no Brasil. Seus sabores e aromas atraem novos fumantes e possuem apelo entre o público jovem. O documento também cita o resultado da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE), de 2019, que entrevistou estudantes de 7º a 3º ano do Ensino Médio. Entre os alunos de 13 a 17 anos, 23,6% da rede pública e 24,3% da rede privada já haviam experimentado algum cigarro eletrônico.

Saúde em risco

A AMB explica que o senso comum de que os cigarros eletrônicos trazem menos risco à saúde é uma falácia. “Apresentados como ‘saudáveis’, os DEFs seriam a ‘solução tecnológica’ para o anseio de uma importante fração de tabagistas: a ideia de poder fumar sem culpa, já que o produto se trataria apenas de ‘vapor de água’ e não conteria substâncias tóxicas e perigosas. Entretanto, não é essa a realidade sobre os dispositivos”, diz o documento.

As entidades ainda pedem que a Anvisa mantenha a proibição do vape e crie uma rotina de fiscalização de seu uso no país. “Os cigarros eletrônicos não podem reverter décadas de esforços da política de controle do tabaco no Brasil”, finaliza o pronunciamento. A informação é do Portal Bhaz.

Além da AMB, outras entidades assinaram o posicionamento, como a Associação Brasileira de Estudos do Álcool e Outras Drogas (ABEAD), a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO), a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), entre outras. O documento na íntegra está disponível aqui.

Em dezembro do ano passado, Zé Neto da dupla com Cristiano, contou aos fãs que havia sido diagnosticado com uma doença pulmonar após a Covid-19 e o uso de vape, uma espécie de cigarro eletrônico. “Obrigado, do fundo do meu coração. Nesse projeto, falei com Cristiano, a gente apostou muito, a gente estava meio com medo. Todo mundo sabe, não é segredo para ninguém, eu estou com um problema no pulmão. Estou tratando, estou tentando, achei que nem ia conseguir. Mas Deus é tão é maravilhoso que, mais uma vez, eu acho que a gente saiu daqui com a bala desse projeto”, disse ele.

Últimas Notícias

INSCREVA-SE

TENHA ACESSO EXCLUSIVO

FIQUE POR DENTRO DAS ULTIMAS NOTÍCIAS

Ao se inscrever você ficará por dentro das últimas notícias

Mais Nóticias